venezuela_page_PT_02

O país está a atravessar uma das maiores crises económicas e políticas da sua história.

Os sacerdotes e religiosas estão a fazer os impossíveis para apoiar, acompanhar e consolar o seu povo.

Mas quem cuida deles para que não desanimem, emocional e espiritualmente?

AO OFERECER UMA MISSA PELA VENEZUELA

JÁ ESTÁ A AJUDAR

Como fazer

Quando faz um donativo para um estipêndio de Missa através da Fundação AIS, já está a contribuir para a subsistência de um sacerdote num dos mais 140 países onde ajudamos (neste caso, na Venezuela) e, ao mesmo tempo, está a ser celebrada uma Missa pelas suas intenções particulares.

QUERO OFERECER UMA MISSA PELA VENEZUELA

Animamos também os católicos de todo o mundo a rezar pela paz e o futuro da Venezuela, nas Missas em que participarem.
A Santa Missa tem um valor infinito. A oração está na base da mudança!

Dados sobre a crise

Segundo o último relatório da Caritas Venezuela, a inflação alimentar superou os 1.300% em 2017. Da mesma forma, o Fundo Monetário Internacional estima que a inflação na Venezuela em 2018 será de 13.000%, a mais elevada do mundo. 

No dia 1 de Maio, o salário mínimo nacional subiu de 1,3 milhões de bolívares para 2,5 milhões, o que significa um aumento de 95%. Trata-se do nono aumento salarial desde Janeiro de 2017 e o terceiro no decurso do presente ano. Apesar do aumento, é praticamente impossível que os cidadãos comuns consigam comprar alguma coisa. Um quilo de frango custa 1,5 milhões de bolívares, um quilo de arroz custa 600.000 bolívares, dois rolos de papel higiénico são 500.000 bolívares e uma garrafa de água é 200.000 bolívares. O cabaz de família básico custa o equivalente a 50 salários mínimos. 

A esta situação económica acrescenta-se a crise política: o Governo convocou eleições presidenciais no país para o dia 20 de Maio. No seu último comunicado a Conferência Episcopal da Venezuela afirmou que a realização das eleições não é legítima, porque “tal como estão concebidas, sem as garantias suficientes para um processo eleitoral livre, fidedigno, transparente, com a desqualificação de inúmeros possíveis candidatos, longe de contribuir para uma solução para a crise que o país vive, podem agravá-la e conduzi-lo a uma catástrofe humanitária sem precedentes”. Por isso, pedem o seu adiamento para o último trimestre do ano.

A Igreja Venezuelana sofre com o seu povo

Os sacerdotes e religiosas estão a fazer os impossíveis para apoiar, acompanhar e consolar o seu povo. Mas quem cuida deles para que não desanimem, emocional e espiritualmente?

O ofertório da Missa por semana ronda os 80.000 bolívares. Os rendimentos dos sacerdotes, especialmente os das periferias, mal dão para a sua subsistência e para as despesas de transporte. Um pneu custa 30 milhões de bolívares. A situação agrava-se no caso de doença. Os medicamentos são muito caros e muitas doenças crónicas acabam por se tornar mortais. Quatro sacerdotes já morreram nos últimos meses por falta de cuidados médicos e dez tiveram de sair do país.

Venezuela
As pessoas estão desesperadas
A Santa Missa no distrito de Vargas
O cabaz de família básico custa o equivalente a 50 salários mínimos.
PARA CONHECER MELHOR A FUNDAÇÃO Aid to the Church in Need, VISITE http://www.churchinneed.org
logoacnwhy2

SOBRE NÓS

Fundada em 1947 como uma organização de auxílio católico para refugiados de guerra e reconhecida como uma fundação pontifícia desde 2011, a Fundação ACN dedica a sua atenção ao auxílio de cristãos em todo o mundo, através de informação, oração e acção, onde quer que eles se encontrem perseguidos ou em necessidade. A Fundação ACN apoia todos os anos cerca de 6.000 projetos em quase 150 países, graças as doações privadas dos seus benfeitores, já que não recebe nenhum financiamento público.