A nossa missão é ajudar os Cristãos em necessidade

Sim, quero rezar com o Santo Padre pelos Cristãos perseguidos em todo o mundo.

A FUNDAÇÃO ACN AJUDA A IGREJA ONDE ELA É DISCRIMINADA, PERSEGUIDA OU PRECISA DE AJUDA MATERIAL

As nossas campanhas

A sua fé é a nossa esperança

Para aliviar o sofrimento da Igreja em África, as muitas vocações, os seus sacerdotes e religiosas que trabalham nos lugares mais difíceis – especialmente aqueles que sofreram perseguição por causa da sua fé às mãos de grupos terroristas como o Boko Haram.

A Fundação ACN está a promover uma campanha para apoiar os Cristãos em África, o continente da esperança.

Ajuda aos refugiados Cristãos na Síria e no Iraque

Mais de cinco anos de perseguição e guerra tornaram insuportável a vida dos Cristãos do Médio Oriente – algumas regiões sofrem um verdadeiro genocídio. E qual foi motivo? A sua fé em Jesus Cristo. Hoje, mais de 13.000 famílias cristãs no Iraque dependem da ajuda da Fundação ACN para sobreviver.

Junte-se à campanha da Fundação AIS para apoiar os Cristãos no Médio Oriente.

Relatório da liberdade religiosa

Actualmente mais de 200 milhões de pessoas em todo o mundo não podem exercer livremente a sua fé. O direito fundamental da liberdade religiosa não é garantido em mais de 80 países do mundo. Cerca de 75% de todas as perseguições religiosas são exercidas sobre os Cristãos, o que torna o Cristianismo a religião mais perseguida em todo o mundo. Os Cristãos são discriminados ou oprimidos em mais de 40 países do mundo.

As nossas últimas campanhas

PARA CONHECER MELHOR A FUNDAÇÃO Aid to the Church in Need, VISITE http://www.churchinneed.org
logoacnwhy2

SOBRE NÓS

Fundada em 1947 como uma organização de auxílio católico para refugiados de guerra e reconhecida como uma fundação pontifícia desde 2011, a Fundação ACN dedica a sua atenção ao auxílio de cristãos em todo o mundo, através de informação, oração e acção, onde quer que eles se encontrem perseguidos ou em necessidade. A Fundação ACN apoia todos os anos cerca de 6.000 projetos em quase 150 países, graças as doações privadas dos seus benfeitores, já que não recebe nenhum financiamento público.