Oriente Médio em 2018

Apesar de a guerra na Síria e no Iraque finalmente ter terminado, as dificuldades das pessoas nesses países estão longe de acabar. Vê-se isso pelas ruínas, pelos abrigos escavados em montanhas de destroços e pelos olhos vazios de inúmeras pessoas traumatizadas. Ajuda humanitária e reconstrução continuam sendo imperativas. Isso também se aplica para a Igreja, que enfrenta grandes dificuldades no Oriente Médio, assim como seus fiéis perseguidos e desalojados. Só em 2018, a ACN ajudou a Igreja na Síria e no Iraque com mais de 13 milhões de euros.

Para os cristãos no Oriente Médio, nossa ajuda é mais que um símbolo de solidariedade humana. Ela é um símbolo de um novo futuro e da união mundial do cristianismo. Já nos primeiros anos da guerra, quando os refugiados estavam preocupados com sua mera sobrevivência, a ACN pôde salvar dezenas de milhares de cristãos com ajudas de emergência para alimentos, tendas, cobertores e medicamentos. A solidariedade, a assistência e a caridade do ato deram a essas pessoas a coragem de continuar vivendo.

» Apesar do trauma da guerra, muitos cristãos no Oriente Médio estão olhando para o futuro novamente. «

Mas milhões de pessoas continuam sobrevivendo como desalojados ou refugiados nos campos, inclusive muitos cristãos. A maioria deles quer voltar à sua terra natal, pois eles sentem falta de um lar que promete proteção e segurança. Mas além das próprias quatro paredes, após a guerra cruel, esses fiéis precisam de suas igrejas como espaço para a oração conjunta e como símbolo de uma mensagem de conciliação.

A boy at the Palm Sunday procession on 25.03.2018 in Qaraqosh, Iraq.
Um garoto na procissão do Domingo de Ramos em 25/03/2018 em Qaraqosh, Iraque.

Como muitas igrejas foram danificadas ou destruídas pela guerra, medidas de reconstrução estão entre nossos projetos de ajuda mais urgentes no Oriente Médio. Afinal, com cada pedra reconstruída, recupera-se ao mesmo tempo o tecido social das comunidades.

Related: