Menu
Menu

África

Em 2019, a África estabeleceu um triste recorde pelo segundo ano consecutivo: trata-se do continente com o maior número de sacerdotes, religiosos e funcionários da Igreja assassinados. O número crescente de sequestros e a crescente propagação do terrorismo islâmico também são preocupantes. O aumento da violência foi particularmente dramático em Burkina Faso. Cristãos estão sendo pressionados em muitos lugares da África. Nos locais onde eles são uma minoria, eles são discriminados, perseguidos e deslocados. Por isso, o continente negro foi também uma região prioritária para a ACN em 2019.

Apesar da situação muitas vezes catastrófica, a África continua sendo um continente de esperança para a Igreja Católica. Com um total de 234 milhões de católicos, mais de um sexto de todos os católicos do mundo vivem lá. Um a cada nove sacerdotes e a cada quatro seminaristas do mundo é africano. Em tempos de fome, violência e instabilidade política, é sempre a Igreja que está ao lado do povo – ela ajuda onde os Estados falham. É por isso que, na perspectiva da nossa fundação, nossa tarefa não é só ajudar a Igreja na África em sua missão pastoral, mas também no seu engajamento social e humanitário.

O continente negro foi também uma região prioritária para a ACN em 2019.
O continente negro foi também uma região prioritária para a ACN em 2019.

Com 234 milhões de católicos, a África continua sendo um continente de esperança para a Igreja.

Com um total de 234 milhões de católicos, mais de um sexto de todos os católicos do mundo vivem na África.
Com um total de 234 milhões de católicos, mais de um sexto de todos os católicos do mundo vivem na África.

O principal foco da ACN na África é a educação e formação de sacerdotes, religiosos e leigos. Outra das nossas maiores prioridades é o apoio a iniciativas para fortalecer e proteger famílias em situações de crise e conflito. Também ajudamos as congregações a comprar veículos off-road para que os pastores possam alcançar também pessoas em áreas remotas, passando por estradas em condições dificílimas. Outros recursos vão para a construção de igrejas e capelas, que são uma fonte de identidade principalmente em áreas com minoria católica.