BOLSAS DE ESTUDO

Fundamentação lógica

Promover o crescimento da Igreja em situações de perseguição, pobreza extrema, primeira evangelização ou reevangelização, aumentando as qualificações daqueles a quem foi confiada a edução dos futuros trabalhadores da vinha do Senhor.

Destinatários prioritários

Futuro pessoal chave e pessoal docente: tal como professores de seminários, mestres e mestras de noviços/as, advogados de direito canónico, etc.

Estudos considerados

Estudos superiores universitários (mestrados e doutoramentos)

NÃO se candidate a uma bolsa de estudo, se:

  • Não tiver o apoio do seu bispo local
  • For seminarista (terá de terminar primeiro os seus estudos básicos)
  • Pretender estudar uma matéria não relacionada rigorosamente com a Igreja (não teológica)
  • Já tiver saído do seu país de origem
  • Tiver mais de 40 anos de idade
  • Pretender tirar um curso de idioma
  • Já tiver recebido uma bolsa para os mesmos estudos, proveniente de outra fonte
  • Estiver instituído como sacerdote responsável numa diocese da União Europeia ou da América do Norte
  • O seu local de trabalho, após os seus estudos, vier a ser na União Europeia ou na América do Norte

Informação para o bispo/superior religioso local:

  • Não cobrimos estudos no estrangeiro quando estes estão disponíveis no seu país ou continente
  • Não cobrimos as despesas totais dos estudos. Também será necessária uma ajuda local
  • As despesas de viagem para o país dos estudos não serão cobertas pela Ajuda à Igreja que Sofre (ACN)
  • Os cursos de línguas não serão cobertos pela ACN
  • Consideramos, no máximo, uma candidatura por diocese ou província religiosa por ano,para estudos em países da União Europeia ou Canadá

Regras para candidatar-se

  1. A candidatura tem de ser endereçada directamente a:
    Aid to the Church in Need – International
    Postfach 1209,
    D – 61452 Königstein im Taunus (Alemanha)
  2. O bispo ou superior religioso têm de apresentar o pedido formal para uma bolsa de estudo em nome do estudante.
  3. O prazo limite para candidaturas na União Europeia ou Canadá é 28 de Fevereiro. As candidaturas recebidas depois dessa data NÃO serão consideradas.

APRESENTAÇÃO DA CANDIDATURA (por bispo ou superior religioso)

  • Argumentação sobre a razão por que a diocese ou congregação religiosa precisa das qualificações pretendidas
  • Descrição da função que o(a) candidato(a) assumirá depois de completar os seus estudos

LISTA DE VERIFICAÇÃO DOS DOCUMENTOS A SEREM ANEXADOS À CANDIDATURA:

  • Curriculum vitae pormenorizado, incluindo a idade, data da Ordenação sacerdotal ou Votos Perpétuos (para religiosos), e indique as actividades pastorais desempenhadas pelo(a) candidato(a)
  • Fotocópia do BA em Teologia (para sacerdotes) ou outros dertificados/diplomas que permitem a admissão às Universidades Pontifícia ou outra universidade escolhida
  • Certificado de pré-registo
  • Fotocópia do passaporte
  • Formulário preenchido da Candidatura a Bolsa de Estudo (somente para estudos na União Europeia e Canadá)
  • Informação sobre outras organizações que se tenham candidatado a uma bolsa de estudo

Mais informações necessárias dos candidatos de congregações religiosas:

  1. Endereço da casa mãe
  2. História da congregação com a sua abreviatura
  3. Número de províncias ou comunidades e seus locais
  4. Número de membros que professaram votos perpétuos
  5. Número de membros que professaram votos temporários
  6. Número de noviços(as)
  7. Carisma e principal missão da congregação
  8. Actuais prioridades da congregação

Formulários de que é possível fazer o download:

PARA CONHECER MELHOR A FUNDAÇÃO Aid to the Church in Need, VISITE http://www.churchinneed.org
logoacnwhy2

SOBRE NÓS

Fundada em 1947 como uma organização de auxílio católico para refugiados de guerra e reconhecida como uma fundação pontifícia desde 2011, a Fundação ACN dedica a sua atenção ao auxílio de cristãos em todo o mundo, através de informação, oração e acção, onde quer que eles se encontrem perseguidos ou em necessidade. A Fundação ACN apoia todos os anos cerca de 6.000 projetos em quase 150 países, graças as doações privadas dos seus benfeitores, já que não recebe nenhum financiamento público.