Menu
Menu

Iraque em 2019

Projetos solicitados em 2019
J
84
Project
applications
K
50
Funded
projects
Projetos financiados em 2019
Head of Section

O Iraque está devastado. O país tem muita dificuldade para se reerguer das ruínas deixadas pelo grupo Estado Islâmico durante os anos de ocupação. A corrupção no governo e na administração também está tornando a reconstrução mais difícil. Dois em cada três iraquianos estão desempregados. 6 milhões de pessoas estão dependentes de ajuda do exterior. A ACN presta assistência diretamente no local. Ao todo, aprovamos orçamentos de ajuda de 5,6 milhões de euros para o Iraque em 2019. Graças a essa ajuda, muitos cristãos podem voltar para sua antiga pátria.

O principal foco da ACN no Iraque é a reconstrução de igrejas, mosteiros, escolas, jardins de infância e centros paroquiais. Em 2019, nosso orçamento para ajuda à construção no Iraque totalizou 5,6 milhões de euros. É uma ajuda duradoura que quase ninguém mais assume. Ela cria estabilidade e perspectivas, e não menos importante: as medidas de construção e renovação também criam empregos. Mas nada dá mais confiança aos cristãos no Iraque do que a reconstrução de suas igrejas destruídas pelo EI. Isso inclui nossa ajuda para a renovação da igreja Al-Tahira em Baghdeda, a maior igreja do Iraque. Mas não foram só as igrejas: escolas também retomaram suas atividades. O Padre Georges Jahola descreve a situação atual desta forma: “É claro que nem tudo está bem ainda. Os problemas no nosso país são enormes. Uma coisa é certa: se cristãos de todo o mundo não tivessem ajudado nosso povo tão generosamente, não haveria mais ninguém aqui”.

Ficamos felizes com cada cristão que volta para o Iraque.

Mas não só a reconstrução de igrejas, como também a reconstrução de habitações destruídas é uma preocupação central da ACN no Iraque. Por isso, como coiniciadores do “Comitê de Reconstrução de Nínive”, ajudamos na a restauração de 2.086 casas na planície de Nínive com 6,43 milhões de euros nos últimos anos, o que representa mais de um terço de todas as casas reconstruídas na região.

Na reconstrução do centro São José.
Na reconstrução do centro São José.

Isso faz do projeto de Nínive o maior programa de reconstrução que já ocorreu no Iraque. Especialmente em Baghdeda, a maior cidade cristã do país, a ACN possibilitou assim o regresso de milhares de famílias que retomaram entusiasticamente a vida eclesial com aulas de catecismo, grupos de mulheres, trabalho com jovens e emissões de rádio.

Milhares de cristãos já puderam voltar para suas casas.

Parte da nossa ajuda de construção foi para a renovação de salões comunitários onde se celebram casamentos e outras festas. Muitas famílias não conseguem pagar tais celebrações de outra forma. Projetos como esses também servem para recuperar a coesão social nas comunidades e encorajar as pessoas a retornarem à sua terra natal. Afinal, muitos refugiados encontraram abrigo com parentes e amigos, alguns deles cristãos. Eles vêm de Bartella, Tesqopa, Karemlash, Bashiqa e Bahzani e estão esperando ansiosamente pela oportunidade certa para regressar à sua terra natal. Se nos dermos conta de que, após o fim da guerra civil e do regime de terror do EI, apenas 10% dos 1,5 milhões de cristãos que viviam no Iraque ainda estão no país  teremos uma primeira ideia de como a Igreja cristã no Iraque está esvaziada hoje. No entanto, novas esperanças germinam entre os fiéis. O Bispo Warda resume: “Somos uma Igreja de mártires, mas após todo martírio
vem uma ressurreição”.

Nova construção em Baghdeda.
Nova construção em Baghdeda.

Si l’on prend conscience du fait que depuis la fin de la guerre civile et du règne de la terreur de l’EI, seulement 10 % du million et demi de chrétiens vivent encore dans le pays, on se rend alors compte à quel point l’Église chrétienne est exsangue aujourd’hui en Irak. Cependant un nouvel espoir naît chez les fidèles. Et l’évêque Mgr Warda le résume bien : « Nous sommes une église martyr mais tout martyr est suivi d’une résurrection. »

Igreja Al-Tahira brilha em novo esplendor

Para muitos cristãos, a destruição da igreja Al-Tahira em Baghdeda pelos rebeldes do EI foi o ponto mais doloroso do período de ocupação. Antes de sua fuga, os terroristas juntaram e atearam fogo em bancos, confessionários e todos os móveis. Tudo o que restou foram paredes vazias e carbonizadas. Muitos fiéis se reuniam diariamente para realizar a missa no que restou da igreja, que era o orgulho da cidade como a maior igreja cristã. A ACN disponibilizou um orçamento de 510.000 euros para a renovação do interior da igreja em 2019. O Arcebispo sírio católico de Mossul, Petros Mouche, disse à ACN: “A Igreja Al-Tahira foi construída em 1932 pelos habitantes de Baghdeda. Queremos que a igreja permaneça um símbolo cristão e encorajamos os habitantes da cidade com seu novo esplendor a permanecerem aqui”.