Menu
Menu

Filipinas em 2018

Número de projetos 2018
J
87
Project
applications
K
78
Funded
projects
Tipo dos projetos 2018
Responsável pelo projeto

A história da Igreja Católica nas Filipinas tem 400 anos. Hoje, 80% da população declara pertencer ao catolicismo. Mas a relação da Igreja com o presidente Rodrigo Duterte é tensa, entre outras coisas porque ele já ordenou a execução sem julgamento de milhares de supostos criminosos ligados às drogas. Mas problemas como o tráfico de drogas não são os únicos no país: a desigualdade social e o crescente materialismo também são vistos por toda parte. A ACN ajuda principalmente dioceses carentes a manter as estruturas necessárias. Outro foco da nossa ajuda é no fomento ao acompanhamento pastoral – principalmente para os refugiados no arquipélago de Mindanao.

O arquipélago de Mindanao, no qual vive um número relativamente alto de muçulmanos, tem um status especial nas Filipinas. Grupos terroristas islâmicos querem criar um estado islâmico nessa região. Em maio de 2017, várias centenas de combatentes islâmicos destruíram quase totalmente a cidade de Marawi, mataram pessoas e levaram reféns.

A refugee child in a Christian refugee camp after the terrible siege of Marawi.
Uma criança refugiada na vila para refugiados após o terrível cerco a Marawi.

Aqueles que conseguiram escapar do banho de sangue fugiram o mais rápido possível, com medo mortal dos terroristas. A ACN prestou ajuda de emergência imediata para os refugiados. Atualmente, a principal tarefa é acompanhar os traumatizados com acompanhamento pastoral e terapêutico. Em 2018, a ACN apoiou um projeto que presta assistência para 200 homens, mulheres e crianças que foram mantidos presos por vários meses, sofrendo tormentos físicos e mentais. Entre eles há mulheres e meninas estupradas. São atendidos tanto cristãos quanto muçulmanos.

In the “Youth for Peace” project, Christian and Muslim students visit refugee camps.
No projeto “Youth for Peace”, estudantes universitários cristãos e muçulmanos visitam acampamentos de refugiados.

Estudantes universitários promovem o diálogo entre cristãos e muçulmanos

Para a igreja local, o massacre em Mindanao deu origem a outra iniciativa, também apoiada pela ACN: no projeto “Youth for Peace”, estudantes universitários cristãos e muçulmanos visitam acampamentos de refugiados nos quais ainda vivem milhares de pessoas que fugiram da cidade de Marawi. Os estudantes ajudam os refugiados independentemente de sua religião e são uma prova visível de que uma convivência conjunta é possível mesmo após os terríveis acontecimentos de 2017. Para o bispo local Edwin de la Peña y Angot, de Marawi, o diálogo e a recuperação da convivência pacífica entre cristãos e muçulmanos têm prioridade. A ACN continuará dando apoio às suas iniciativas de paz e conciliação.