Menu
Menu

Nicarágua em 2019

Projetos solicitados em 2019
J
44
Project
applications
K
37
Funded
projects
Projetos financiados em 2019
Head of Section

As pessoas na “terra dos mil vulcões” sempre viveram com o perigo de que a terra pudesse se abrir ou explodir a qualquer momento. Isso também se aplica à situação política e social na Nicarágua em sentido figurativo. As conseqüências dos cortes de pensão anunciados em 2018 continuaram a se fazer sentir em 2019: milhares se reuniram em protestos. Houve também surtos de violência nos quais militares mataram várias centenas de pessoas nos últimos dois anos. A ACN não interfere na política, mas nossa fundação apoia a Igreja da Nicarágua na mediação entre as partes em conflito.

A Nicarágua é o segundo país mais pobre da América Latina, depois do Haiti. Muitas vezes é apenas a Igreja que defende os mais pobres. Seu corajoso compromisso com os pobres e fracos dá a muitas pessoas novas esperanças de uma melhoria de suas condições de vida.

O bispo de Matagalpa, Rolando José Álvarez Lagos, abençoa uma criança.
O bispo de Matagalpa, Rolando José Álvarez Lagos, abençoa uma criança.

Além disso, a Igreja ofereceu abrigo contra a violência a milhares de jovens durante a dramática crise de abril a julho de 2018. A ACN entende o papel social que a Igreja desempenha na Nicarágua além da sua missão pastoral e continuará a ajudá-la, por exemplo, na formação dos sacerdotes. Embora não faltem novos membros aos seminários atualmente, os jovens candidatos ao sacerdócio não estão recebendo o suficiente para alimentos e materiais didáticos mais necessários. A ACN os ajuda.

Sabemos do papel social da Igreja na Nicarágua.

Além de ajudar nos seminários, também apoiamos as atividades pastorais da Igreja local. Apoiamos, por exemplo, a construção de casas paroquiais e a aquisição de novos veículos. No total, cerca de 40 pedidos de ajuda com um volume de quase meio milhão de euros foram aprovados para a Igreja na Nicarágua. O padre Francisco Tigerino, Reitor do Seminário Nacional Interdiocesano de Nossa Senhora de Fátima, agradece a solidariedade dos benfeitores da ACN: “O que mais me impressiona é que temos o apoio de pessoas do outro lado do mundo, pessoas que certamente nunca conheceremos. Eles o fazem porque somos Igreja e por amor ao Reino de Deus. Com a sua ajuda e com a ajuda de Deus, continuaremos a formar pessoas e, assim, a avançar o trabalho da Igreja”.