Menu
Menu

República Democrática do Congo em 2017

A ganância, a corrupção e os elevadíssimos níveis de pobreza fazem parte do dia a dia de 70 milhões de habitantes na República Democrática do Congo. Durante décadas, trava-se neste país rico em matérias-primas uma guerra pelos recursos naturais. Também a Igreja Católica tem tido aqui bastantes dificuldades.

Ultimamente, multiplicam-se os ataques brutais do governo a igrejas e instituições católicas, a fim de evitar o envolvimento e o apoio da Igreja ao processo democrático. Existe uma grande necessidade de ajuda humanitária, assistência espiritual e reconstrução.

Depois de atos de violencia contra a Igreja, em 19 de fevereiro de 2017, no seminario de Kananga.
Depois de atos de violencia contra a Igreja, em 19 de fevereiro de 2017, no seminario de Kananga.

A repressao contra a Igreja Catolica, levada a cabo pelos esbirros do Presidente Kabila na provincia de Kasai, e devastadora. Igrejas, casas episcopais, seminarios, conventos e centros de saude foram saqueados, destruidos ou incendiados. Em 31 de dezembro de 2017, uma manifestacao pacifica na capital, sob a lideranca da Igreja Catolica, de apoio ao movimento democratico, provocou seis mortos e varios feridos. Muitas pessoas foram presas.

Expatriados e refugiados no leste da Republica Democratica do Congo.
Expatriados e refugiados no leste da Republica Democratica do Congo.

» É com horror que assistimos ao eclodir de violência, medo e insegurança em muitos lugares. «

Assim, e cada vez mais importante ajudar a Igreja, face a gravidade da sua situacao, e fazer chegar a ajuda necessaria.