Menu
Menu

Mauritânia em 2019

Projetos solicitados em 2019
J
2
Project
applications
K
3
Funded
projects
Projetos financiados em 2019
Head of Section

A República Islâmica da Mauritânia, no noroeste da África, tem uma população de cerca de 4,3 milhões de habitantes e é um dos países mais pobres do mundo. Desde os anos 1970, o país se torna cada vez mais desértico. Muitos criadores de gado perderam seus rebanhos com isso e migraram com suas famílias para as favelas das cidades. Devido às alterações climáticas, a subida do nível do mar também está causando problemas às pessoas, e algumas zonas costeiras já são inabitáveis. A situação também é difícil para a minoria cristã no país. A ajuda da ACN no país vai principalmente para sacerdotes e religiosas que vivem no limite da sobrevivência.

Quase 100% da população pertence ao Islã. Os únicos 4.000 cristãos católicos são exclusivamente estrangeiros. O bispo, os sacerdotes e as religiosas da única diocese do país vêm de 20 países europeus, asiáticos e africanos diferentes. No entanto, o trabalho da Igreja Católica é apreciado por muitos muçulmanos.

Os padres e as religiosas aqui vivem no limite da sobrevivência.

Na Mauritânia, 27 religiosas cuidam de mulheres grávidas, doentes, migrantes, prisioneiras e pessoas com deficiência – quase todas são muçulmanas. As irmãs são também ativas em escolas e instituições educacionais.

Irmã Hilda, missionária da Ordem dos Franciscanos, em uma clínica com um recém-nascido.
Irmã Hilda, missionária da Ordem dos Franciscanos, em uma clínica com um recém-nascido.

Nesses lugares, elas dão aulas a mulheres que não puderam ir à escola e ensinam-lhes habilidades práticas como a costura, além de leitura e escrita. Elas também cuidam de crianças subnutridas, das quais há cerca de 40.000 só na capital Nouakchott. Em 2019, a ACN apoiou as 27 religiosas com um subsídio de subsistência e os dez sacerdotes da diocese com subsídios para missas.